A volta dos que não foram

Pra quem acompanha o blog desde a outra “versão” sabe que faz mais de um ano que eu mudei para o Arch Linux, e continuo feliz desde então.

Mas como a curiosidade é maior, no começo desse ano resolvi que queria experimentar outras distribuições. E foi assim que uma jornada, que pra mim foi longa, começou.

Passei por diversas distribuições, voltei ao Debian, experimentei o OpenSUSE, disse oi ao Slack, visitei o Ubuntu, suas variantes e seus descendentes, entre outras.

Acho que foram uns dois ou três meses nesse vai e volta, e é sem surpresa nenhuma que escrevo esse post no Arch. É, não teve jeito…

Nenhuma distribuição me deu a simplicidade, flexibilidade e performance que o Arch dá.

E foi nessa volta que eu tive o único problema no Arch que não consegui resolver da maneira que queria. Acho que foi uma crise de ciúme da minha distribuição preferida. 😛

Ao tentar me conectar com o wifi-menu, demorava pra caramba e depois de algum tempo a conexão falhava. No log vi que o problema era ao obter um endereço IP. Aumentei o tempo de timeout mas não adiantou, fiquei tentando outras soluções por algum tempo, até que me dei por vencido e configurei o perfil do netctl para usar um IP fixo.

Não foi do jeito que eu queria mas no geral foi bom. Meu roteador já tem cadastrado alguns dispositivos com um endereço específico para cada MAC, então nem precisei alterar nada para não ter conflito.

Um dos “efeitos colaterais” foi que antigamente quando usava DHCP, analisando o processo de boot, a conexão demorava em média uns 5 segundos agora esse tempo caiu para 2 segundos. Double win!

Essa viagem entre as distribuições foi um dos motivos de não ter escrito mais nada, juntamente com a preguiça mas gosto de por a culpa no tempo que fiquei trocando de distribuição.

De volta ao Arch eu continuei um tempo sem bootar muito nele pois estou me dedicando ao estudo de C# e ASP.Net MVC 5.

Hoje ao instalar as ferramentas necessárias para poder voltar a postar coisas no meu blog, descobri que o Heroku agora suporta Python 3.4, se fornecido no runtime.txt.

Acho que vou verificar se todos os pacotes que uso no blog já foram portados e talvez eu mude também, não que isso vá mudar alguma coisa já que o blog tem, contando as linhas em branco, 84 linhas de código.

E pra ter alguma coisa diferente no blog, criei um feed assim você pode adicionar no leitor de RSS e acompanhar as atualizações sem precisar entrar no blog. O link está na navbar. 😉

E é isso, eu não fui, mas voltei. 🙂

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s